A criatividade é um bem
ao serviço da empresa 

A criatividade é um bem
ao serviço da empresa 

A criatividade é um bem ao serviço da empresa 

A criatividade é um bem ao serviço da empresa 

A criatividade é um bem ao serviço da empresa 

Criatividade vs
Controlo de Gestão

Criatividade vs
Controlo de Gestão

Criatividade vs
Controlo de Gestão

TÓPICOS
CRIATIVIDADE
CITIZEN DESIGN
DESIGN RESEARCH

Em que medida a criatividade convive com o controlo de gestão num ambiente empresarial? A tese que parece saltar à vista é a de que o controlo da gestão pode assumir um papel limitador da criatividade numa empresa e que a relação entre criativos e gestores pode ser complicada, tendo em conta os diferentes pontos de vista de cada um. O que muitas vezes não se percebe é que essa aparente contradição, quando bem gerida, pode ser complementar de forma positiva.

Em que medida a criatividade convive com o controlo de gestão num ambiente empresarial? A tese que parece saltar à vista é a de que o controlo da gestão pode assumir um papel limitador da criatividade numa empresa e que a relação entre criativos e gestores pode ser complicada, tendo em conta os diferentes pontos de vista de cada um. O que muitas vezes não se percebe é que essa aparente contradição, quando bem gerida, pode ser complementar de forma positiva.

Em que medida a criatividade convive com o controlo de gestão num ambiente empresarial? A tese que parece saltar à vista é a de que o controlo da gestão pode assumir um papel limitador da criatividade numa empresa e que a relação entre criativos e gestores pode ser complicada, tendo em conta os diferentes pontos de vista de cada um. O que muitas vezes não se percebe é que essa aparente contradição, quando bem gerida, pode ser complementar de forma positiva.

Clique para fazer o download do artigo.

Clique para fazer o download do artigo.

A criatividade é uma competência

A competência criativa é inerente a todas as pessoas. Há pessoas mais experientes que desenvolvem essa competência de forma mais estruturada e profunda através de formação e aplicação prática, e há outras desenvolvem menos essa competência logo, possuem menos experiência.  Essa diversidade é importante nas organizações pois quanto mais diverso for o ecossistema organizacional mais diferenciada será a qualidade do output e mais amplo o poder de entrega. Saber gerir as competências criativas dos diferentes setores é como a atividade de um maestro numa orquestra, onde cada instrumento tem seu momento e todos tocam juntos a mesma música.

A equipa criativa

As diferentes valências de uma empresa devem coexistir, compreender-se entre si e perceber o valor de cada uma. Os processos criativos organizacionais bem-sucedidos são o resultado de equipas de trabalho que se ligam, que comunicam de forma plena, que partilham e que compreendem e respeitam a função de cada elemento da equipa.

Para isso, os diferentes colaboradores têm de se conhecer, saber a função e o perfil de cada um, para poderem explorar da melhor forma as oportunidades que podem surgir. O objetivo da equipa tem de ser comum e residirá no cumprimento ou até na transcendência dos objetivos traçados, na satisfação do cliente, na qualidade do serviço prestado, no bem-estar de todos, na sustentabilidade do negócio e no sentimento de que cada um é parte de um todo maior.

Prazo e liberdade

A criatividade provoca e potencia momentos de maior liberdade para improvisar, gerar ideias, explorar novos caminhos, mas depois, deve assumir os momentos de convergência, onde deve focar, concretizar e garantir a execução. Sendo assim, o controlo de gestão deverá estar consciente da importância desses diferentes momentos e contemplá-los quanto a previsão e planeamento para se atingir os objetivos de entrega. Para que que não ocorram atrasos e ruídos, a comunicação entre todos os elementos da equipa torna-se fundamental e isso também deve ser garantido pelo controlo de gestão.

Mesmo para os momentos de entrega, fecho ou apresentação pública em que há uma validação, um enriquecimento e uma eventual iteração que conduz a um novo futuro, a criatividade é fundamental dentro desse processo, para criar novas visões e fertilização do processo.

Restrições

Ainda aconteçam momentos de maior liberdade, pode não estar subjacente uma liberdade criativa total dentro da organização. Por muito que pareça estranho, a criatividade vive principalmente das restrições, pois são esses limites que desafiam a mente a gerar soluções criativas.

Por esse motivo, os criativos mais ou menos experientes, terão de explorar o desconhecido, ao mesmo tempo que procuram questionar o terreno conhecido para provocá-lo, contrariá-lo e transformá-lo em algo com significado para viver com ele de forma positiva e mais aberta a novas oportunidades.

A criatividade é um bem que está sempre ao serviço da empresa

Sabe-se que os mecanismos de geração de novas ideias promovem a inovação e contribuem para o sucesso da empresa como um todo. Essa competência potencia e alimenta as ferramentas de apoio à decisão, e promovem cada vez mais, soluções competitivas, alternativas e menos comuns, que só a criatividade aplicada pode trazer.

Cabe salientar, que a própria gestão precisa, em si mesma, de criatividade. Pode-se gerir os diversos campos da organização com o auxílio de técnicas criativas que facilitam o controlo da gestão. Dessa forma, além do controlo em si, há uma aprendizagem e exercício da aplicação da criatividade durante o processo em que os ganhos são muitos, tanto para a organização como para os colaboradores.

A criatividade é uma competência

A competência criativa é inerente a todas as pessoas. Há pessoas mais experientes que desenvolvem essa competência de forma mais estruturada e profunda através de formação e aplicação prática, e há outras desenvolvem menos essa competência logo, possuem menos experiência.  Essa diversidade é importante nas organizações pois quanto mais diverso for o ecossistema organizacional mais diferenciada será a qualidade do output e mais amplo o poder de entrega. Saber gerir as competências criativas dos diferentes setores é como a atividade de um maestro numa orquestra, onde cada instrumento tem seu momento e todos tocam juntos a mesma música.

A equipa criativa

As diferentes valências de uma empresa devem coexistir, compreender-se entre si e perceber o valor de cada uma. Os processos criativos organizacionais bem-sucedidos são o resultado de equipas de trabalho que se ligam, que comunicam de forma plena, que partilham e que compreendem e respeitam a função de cada elemento da equipa.

Para isso, os diferentes colaboradores têm de se conhecer, saber a função e o perfil de cada um, para poderem explorar da melhor forma as oportunidades que podem surgir. O objetivo da equipa tem de ser comum e residirá no cumprimento ou até na transcendência dos objetivos traçados, na satisfação do cliente, na qualidade do serviço prestado, no bem-estar de todos, na sustentabilidade do negócio e no sentimento de que cada um é parte de um todo maior.

Prazo e liberdade

A criatividade provoca e potencia momentos de maior liberdade para improvisar, gerar ideias, explorar novos caminhos, mas depois, deve assumir os momentos de convergência, onde deve focar, concretizar e garantir a execução. Sendo assim, o controlo de gestão deverá estar consciente da importância desses diferentes momentos e contemplá-los quanto a previsão e planeamento para se atingir os objetivos de entrega. Para que que não ocorram atrasos e ruídos, a comunicação entre todos os elementos da equipa torna-se fundamental e isso também deve ser garantido pelo controlo de gestão.

Mesmo para os momentos de entrega, fecho ou apresentação pública em que há uma validação, um enriquecimento e uma eventual iteração que conduz a um novo futuro, a criatividade é fundamental dentro desse processo, para criar novas visões e fertilização do processo.

Restrições

Ainda aconteçam momentos de maior liberdade, pode não estar subjacente uma liberdade criativa total dentro da organização. Por muito que pareça estranho, a criatividade vive principalmente das restrições, pois são esses limites que desafiam a mente a gerar soluções criativas.

Por esse motivo, os criativos mais ou menos experientes, terão de explorar o desconhecido, ao mesmo tempo que procuram questionar o terreno conhecido para provocá-lo, contrariá-lo e transformá-lo em algo com significado para viver com ele de forma positiva e mais aberta a novas oportunidades.

A criatividade é um bem que está sempre ao serviço da empresa

Sabe-se que os mecanismos de geração de novas ideias promovem a inovação e contribuem para o sucesso da empresa como um todo. Essa competência potencia e alimenta as ferramentas de apoio à decisão, e promovem cada vez mais, soluções competitivas, alternativas e menos comuns, que só a criatividade aplicada pode trazer.

Cabe salientar, que a própria gestão precisa, em si mesma, de criatividade. Pode-se gerir os diversos campos da organização com o auxílio de técnicas criativas que facilitam o controlo da gestão. Dessa forma, além do controlo em si, há uma aprendizagem e exercício da aplicação da criatividade durante o processo em que os ganhos são muitos, tanto para a organização como para os colaboradores.

Branco

DESIGN FOR CHANGE

DESIGN FOR CHANGE

Made in Porto.

 

 




FACEBOOK     INSTAGRAM     LINKEDIN     TWITTER




FACEBOOK     INSTAGRAM     LINKEDIN     TWITTER




FACEBOOK     INSTAGRAM     LINKEDIN     TWITTER

Rua Alfredo Allen, 455
4200-135 Porto

info@everythink.com
+351 220 301 570 

Rua Alfredo Allen, 455
4200-135 Porto

info@everythink.com
+351 220 301 570 

Rua Alfredo Allen, 455
4200-135 Porto

info@everythink.com
+351 220 301 570 


Made in Porto

Rua Alfredo Allen, 455
4200-135 Porto

info@everythink.com
+351 220 301 570

 

Made in Porto. 

© 2019 EVERYTHINK - ALL RIGHTS RESERVED

© 2019 EVERYTHINK - ALL RIGHTS RESERVED

© 2019 EVERYTHINK - ALL RIGHTS RESERVED